Trattoria dei 13 Gobbi – Firenze

Um dos restaurantes que mais gostei de conhecer nas últimas idas à Itália, sem dúvidas, foi a Trattoria dei 13 Gobbi em Firenze (Florença).
A atmosfera italianíssima (você não dá nada na entrada!) e a decoração mais criativa, estilosa e envolvente de todas, super bem cuidado.
Quem procura um trattoria com comida bem típica (e preço de trattoria $) porém em um lugar mais sofisticadinho, aqui é a pedida. Fui para almoçar e também não deixa de ser despretensioso não, viu?! Sem frescuras, mas vi muita gente local de classe média.
Amei, amei, amei e vou voltar todas as vezes que visitar esta cidade que desta vez, confesso, me deixou apaixonada…

Vejam só:

foto 1-218
A entrada é esta portinha, em uma ruela bem escondida… Italianices, amo!!!

foto-1331
A decoração traz um astral delicioso. As paredes todas com caixas de vinhos e móveis bem diferentes, com cadeiras hiper coloridas, muitos objetos pendurados e luz natural no salão

foto 1-219
Confesso que as fotos não reproduzem nem 10% da beleza do local, mas reparem as cadeiras todas diferentes…

foto 5-166

foto 2-223
O menu

No menu, aqui se come tipicamente a gastronomia fiorentina e Toscana. Na dúvida, peçam opinião dos atendentes sobre o que mais sai e, minha regra número UM: nunca vão nos pratos com massa seca, peçam as “massas frescas” ou “pasta fresca”, aqui virou uma exceção pois o prato mais falado e mais pedido é um rigatoni de-li-ci-o-so com molho de tomate e queijo derretido que vem em uma espécie de cambuca. Fui inclusive na cozinha ver o preparo e filmei para o instagram (@BlogLaMiaDolceVita e na hashtag #lmdvnaitalia).

foto 3-205
Rigatoni 13 Gobbi – não deixem de pedir!

foto 4-178
Reparam no queijo derretido?! Rss. Gente, e a louça toda pintada à mão?! Apaixonante! Esta aqui é uma porção menor que a normal pois pedi também um segundo prato, então sugiro isto para quem não come muito: dividir a massa oiu pedir meia porção e não deixar de pedir outras especialidades #ficaadica Quem come bem pede tudo inteiro, tá?!

foto 4-177

foto 2-225
Um dos pratos mais tradicionais que não podem deixar de comer em Firenze (tem em vários restaurantes) é a Bistecca alla Fiorentina. Um pedaço enorme de carne feiro na brasa para comer MUITO mal passado.  É gostosa, claro, mas para um bom brasileiro que é acostumado com um belo churrasco, não vale a compração, ok?! Rss… A qualidade da carne brasileira é imensamente melhor que a italiana, sem críticas, é uma questão natural da terra e gado mesmo

foto 3-206
Esta da foto é a “Tagliata di Manzo”: ela vem cortada e é menor que a tradicional Bistecca

foto 2-224
E lá fomos conhecer a cozinha… Esta é a peça de Bistecca

Os acompanhamentos, bem tradicionais:

foto 1-220
Funghi fritti – funghi porcini frito!

foto 4-179
Fagiolo bianco, para comer assim com azeite de oliva. Para eles é uma “salada”

foto 5-164
Fior di Zucchine – flor de abobrinha frita, amo!

foto 3-204
Este foi o vinho que tomei – pedi apenas uma taça pois era verão e almoço, mas não podia deixar de tomar um tinto com esta comida maravilhosa, né?!

foto 5-167

Espero que tenham gostado da dica e não deixem de ir, com certeza vão amar.
O preço depende da quantidade de pratos e vinho, claro, mas dá para gastar na faixa de 30 euros comendo primeiro prato, segundo prato e uma taça de um bom vinho! Vale à pena gastar um pouquinho a mais pela qualidade e ambiente.

Trattoria dei 13 Gobbi faz parte de uma rede de restaurantes chamada Casa Trattoria, que descobri depois, é a mesma onde pertence uma outra trattoria que eu amo aqui na cidade, a Marione.
Vejam mais detalhes e dicas de Firenze que dei há um tempo atrás AQUI.

Trattoria dei 13 Gobbi $$
Via del Porcellana, 9R – FIRENZE
Tel: (+39) 055 284 015

Direito do Consumidor – Extravio de Bagagem em Viagem de Avião

Um assunto que interessa à todos que viajam com freqüência e que estão planejando a próxima jornada.
Ponto importante é estar atento também aos problemas que podem vir a surgir e se prevenir, mesmo que nunca pensemos que pode acontecer com a gente.
Para falar melhor sobre o assunto e com propriedade, convidei a Dra. Ana Paula Mangrich (OAB 30.215) do escritório Hazim & Mangrich Advogados, de Florianópolis, para nos ajudar. Ela nos escreve de maneira simples e informal, bem clara com todas as informações jurídicas e até pessoais, tudo que precisamos saber.
Fiquem à vontade em comentar aqui suas experiências e fazer perguntas, ela estará respondendo aqui mesmo nos comentários. Vejam a matéria:

lost

Olá leitores.
Uma das partes mais legais e mais importantes de uma viagem é arrumar a mala, afinal é ela que transportará nossos calçados, roupas, itens de higiene pessoal e de beleza. Ela será uma versão em miniatura do nosso guarda-roupa, com peças selecionadas a dedo para que possamos estar confortáveis e bonitas de acordo com as características e o clima dos locais a serem visitado.
O problema acontece quando nós chegamos ao destino tão desejado e planejado, mas a nossa mala não.

Prováveis causas: Só quem já passou por essa situação conhece a sensação de desânimo, ou até mesmo desespero, quando a esteira do desembarque fica vazia e a bagagem não aparece. E então surgem as dúvidas angustiantes: O que aconteceu com minha mala? Onde ela está? Será que algum dia a verei novamente? Muitas vezes o final é feliz: a mala não está perdida, apenas não deu tempo de ser despachada em razão de uma conexão muito curta ou por outro problema de logística. Muito provavelmente ela será entregue no endereço de hospedagem em poucos dias.
No entanto, em alguns casos a localização da bagagem é desconhecida, seja por extravio, seja por furto. Nestas últimas hipóteses, infelizmente, corre-se o risco de nunca mais receber a mala.

O que fazer: Quando planejamos uma viagem (de férias, principalmente) concentramos todas as nossas atenções para as coisas boas: escolha do hotel, roteiro, passeios, restaurantes, lojas, etc.
E quando uma situação inesperada desses acontece somos pegas desprevenidas, sem saber como agir. Acabamos perdendo tempo, dinheiro e principalmente sossego tentando resolver o problema.
Então, o que fazer?
Primeiramente procure a empresa área, preferencialmente ainda na sala de desembarque ou em até 15 dias após a data de desembarque e relate o fato em documento fornecido pela empresa ou em qualquer outro comunicado por escrito. Não esqueça que para fazer a reclamação é necessário apresentar o comprovante de despacho de bagagem.
Caso seja localizada pela empresa aérea, a bagagem deverá ser devolvida para o endereço informado pelo passageiro.
Portanto, no momento da reclamação forneça seus contatos disponíveis durante a viagem (e-mail, telefone celular, etc.) e seu itinerário (cidades e respectivos endereços de hospedagem).

Dica: Alguns cartões de crédito possuem um serviço de auxílio na busca de bagagem extraviada. Na verdade, a busca é de responsabilidade da empresa aérea, mas o serviço do cartão faz uma intermediação facilitando a comunicação entre passageiro e empresa. Mas não deixe de efetuar a reclamação diretamente com a empresa ainda no aeroporto. E enquanto a mala não vem? Compre tudo o que você precisa para usar durante esse período de espera: sapato, roupa, itens de higiene pessoal, etc. Mas guarde todas as notas fiscais para depois poder cobrar judicialmente da empresa aérea.
A Justiça Brasileira reconhece o direito do consumidor de pleitear indenização por danos materiais (decorrentes do prejuízo financeiro pela perda da bagagem e/ou do prejuízo financeiro pelos gastos em decorrência da perda da bagagem) e por danos morais (em razão dos incômodos sofridos). E as mesmas atitudes valem para quando o extravio da mala ocorrer durante a viagem de retorno.
Por isso a importância de guardar na bolsa de mão todas as notas fiscais das compras efetuadas durante a viagem.

perda-de-mala-passagens-mp1

Outros casos (dano e furto): As indenizações judiciais também são devidas nos casos de bagagem danificada ou de furto de bagagem.
No caso de bagagem danificada, procure a empresa aérea para relatar o fato logo que constatar o problema, preferencialmente ainda na sala de desembarque. Esse comunicado por escrito deverá ser registrado na empresa em até 7 dias após a data de desembarque. Já para o furto, procure a empresa aérea e comunique o fato por escrito. Além disso, registre uma ocorrência na Polícia, autoridade competente para averiguar o fato. Como se precaver: A empresa aérea é responsável pela bagagem desde o momento em que ela é despachada até o seu recebimento pelo passageiro.
De qualquer modo, seguem algumas dicas para tentar evitar esse tipo de aborrecimento:
– Identifique a bagagem para facilitar a sua visualização na sala de desembarque.
– Coloque seus contatos dentro e fora da mala.
– Não despache bagagens que contenham objetos de valor, tais como: joias, dinheiro e eletrônicos. Esses objetos devem ser transportados na bagagem de mão.
– Além dos objetos de valor, leve também na bagagem de mão uma muda de roupa.
– Evite conexões muito curtas, pois pode não dar tempo de a mala ser despachada para o destino final. 

Alguém já passou por uma situação dessas? Conseguiram resolver?

Ana Paula Mangrich
OAB-SC 30.215

Outras informações úteis da revista IstoÉ:

mi_17304817673954647

mi_17304881462718723

mi_17305362003573548

mi_17305422009558223

mi_17305467764782158

Espero que tenham gostado da matéria. Se tiverem sugestões das próximas pautas com a Dra. Ana Paula, podem nos dar também, ficaremos felizes em poder ajudá-los.

Um passeio de bike por Notting Hill

Notting Hill é um bairro de Londres que não pode ficar fora do roteiro. Isto vocês podem imaginar, não é?! Graças ao filme “Um lugar chamado Notting Hill” a delicioso e supercharmoso pedacinho da cidade ficou ainda mais conhecido.
Por aqui, se tiverem apenas um dia, a dica é vir aos sábados onde acontece na Portobello Road – rua mais freqüentada – a maior feira de antiguidades do mundo, há mais de 2 séculos. Hoje em dia, pela fama e popularidade, é possível encontrar flores, comidinhas, roupas, acessórios, livros e muito mais.
Nesta última vista, tive apenas uma manhã para passear por lá, em uma quarta-feira, por isto resolvi fazer um programinha diferente e que pudesse ver bastante coisa em pouco tempo: de bike!

Sugiro primeiro passear pela Portobello Road a pé para visitar as lojas, comer um cupcake na Hummingbird Bakery, visitar a livraria Books for Cooks, que é incrível para quem curte gastronomia, e depois pegar a bike.

VV199327_942long

tumblr_lxbuacAxx21qzyf6lo1_1280

foto 4-151
Existem várias estaçõeszinhas para aluar e fiz com cartão de crédito – custa 2 libras. Cuidado, ela é pesadíssima, rsss…

foto 1-186
Eu AMO a arquitetura daqui. As ruas são bem calmas, pouco movimentadas, uma delícia ficar pedalando…

foto 2-187

foto 5-142

07d1031c99917e08c3dff39ee77e4d9d
Portobello Road Market

Quem quiser almoçar por lá, a minha dica é o incrível restaurante The Ledbury, considerado o melhor de Londres, e que já contei todos os detalhes AQUI.