Brigite’s

Um dos endereços que eu mais gosto de ir para comer no Rio de Janeiro é a rua Dias Ferreira, no Leblon.
Com um restaurante ao lado do outro, opção não falta. Sushi Leblon, Zuka, Quadrucci, Celeiro, Venga… todos eu visito sempre que passo pela cidade.
Já apresentei AQUI a última aquisicão da rua, o restaurante italianinho e aconchegante Brigite’s, e desta vez fui conhecer de perto. Adorei!
Badalado e com menu delicioso, que traz os pratos mais clássicos da gastronomia italiana. Palmas!
Vale à pena. Vejam:

brigites2

ambiente_brigites_cred-Rodrigo-Azevedo_2_baixa

foto 1-73

foto 4-57
Couvert

foto 2-75
Croquete de Pato com molho de Wasabi – incrível a combinação! Amo wasabi e sempre comia com comida japonesa

foto 3-61

foto 2-76
Tagliatelle de Pupunha com creme de Parmesão e Trufas – amei! Primeira vez que experimento a “massa” feita com palmito pupunha e adorei. Leve, com sabor bem acentuado do azeite trufado e do parmesão, que sou fã. Vou pedir sempre!

foto 1-74
Carbonara – outro prato saborosíssimo e que indico muito pedir!

foto 5-47
Massa fresca com Ragu de Carne

Outros dois pratos que me deixaram com água na boca e que vou experimentar na próxima:

foto 1-5
Paglia e Fieno gratinado com Presunto

foto 2-4
Atum selado com Gnocchi de Abóbora e creme de Foie Gras

Brigite’s
Rua Dias Ferreira, 247A, Leblon – Rio de Janeiro
Tel: (21) 2274-5590

Torta de Maçã Verde

Receita deliciosa e para comer com os olhos.
Perfeita para as sobremesas dos jantares de final de ano – incluindo Natal – e almoços de finais de semana de verão!

cc26_aopontosorte_05

Rendimento 12 porções
Tempo de preparo 2 h

Ingredientes
Massa

4 xícaras (chá) de farinha de trigo;
1 colher (chá) de sal;
1 colher (chá) de fermento em pó;
150 g de manteiga gelada, cortada em cubinhos;
1 colher (sopa) rasa de água;
1 ovo inteiro;
2 colheres (sopa) de farinha de rosca (para a montagem);
1 gema para pincelar.

Recheio
6 maçãs verdes médias;
1 ½ colher (chá) de canela em pó;
1 ½ colher (chá) de noz-moscada ralada;
1 colher (sopa) de essência de baunilha;
3 colheres (sopa) de suco de limão;
1 xícara de açúcar;
1/2 xícara de maisena.

Xarope de mel
½ xícara de água;
1 xícara de mel;
1 baga de cardamomo aberta;
½ tampa do frasco de água de rosas.

Modo de fazer
Massa

1 Preaqueça o forno a 180°C.
2 Numa tigela grande, junte a farinha, o sal e o fermento. Acrescente os cubinhos de manteiga. Misture com as pontas dos dedos, sem dissolver completamente a manteiga, até formar uma farofa grossa.
3 Junte a água e o ovo e amasse até formar uma bola de massa. Transfira a massa para uma superfície lisa e sove até que ela fique uniforme, mas deixe alguns pontinhos de manteiga intactos – são eles que fazem a massa ficar crocante.
4 Separe ⅓ da massa e leve à geladeira. Essa massa será usada para fechar a torta.
5 Abra o pedaço restante da massa com um rolo, numa superfície enfarinhada, até ficar grande o suficiente para cobrir o fundo e a lateral da fôrma. Enrole a massa no rolo de macarrão e desenrole sobre a fôrma. Com os dedos, pressione a massa contra as laterais, para formar uma parede sólida. Corte as sobras. Faça furos no fundo da massa com um garfinho, para que ela não infle ao assar.
6 Cubra a massa com papel-manteiga e, sobre ele, coloque grãos de feijão, preenchendo todo o fundo da fôrma, para fazer peso.
7 Leve ao forno preaquecido para assar por 10 minutos. Reserve.

Recheio
1 Corte as maçãs ao meio e retire as sementes. Apoie a parte plana das maçãs numa tábua e corte em fatias bem finas.

2 Numa tigela grande, coloque todos os ingredientes do recheio. Misture bem para que as maçãs absorvam os temperos.

Montagem
1 Retire os feijões e o papel-manteiga da massa pré-assada.

2 Polvilhe a massa com 1 colher (sopa) de farinha de rosca (que ajuda a massa a não molhar e ainda forma um creminho).
3 Coloque as maçãs na fôrma e polvilhe o resto da farinha de rosca.
4 Abra a massa restante com o rolo e cubra a torta. Com as pontas dos dedos, pressione as beiradas e retire o excesso de massa. Faça um pequeno corte em cruz no centro da torta para que, ao assar, o vapor tenha por onde sair.
5 Faça uma bolota com as rebarbas de massa e abra-a com o rolo. Corte os filetes com uma faca grande e decore a torta com eles, formando um padrão xadrez.
6 Leve a torta para assar por 1 h 10 min no forno preaquecido a 180°C.
7 Retire do forno. Pincele a massa com uma mistura de 1 gema e 1 colher (sopa) de água.
8 Volte ao forno por cerca de 10-20 minutos, para terminar de dourar.

Xarope
1 Leve todos os ingredientes ao fogo até levantar fervura e deixe por 5 minutos.

Finalização
1 Sirva a torta quente com o xarope de mel morno e uma bola de sorvete de creme.

 

Fonte: Casa & Comida

Taças e Copos certos. Você sabe usar?

Não existe época do ano com mais festas e eventos como esta, concordam? Confraternizações, Natal, Reveillon, Amigo Secreto e por aí vai.
Quando preparamos tudo em casa geralmente usamos as taças e copos que temos. Na hora de alugar é uma dúvida eterna… Para presentear ou quando somos convidados a levar uma bebida, é de bom tom saber indicar o que usar.
No caso do vinho, tem o decanter. Ah, este é imprescindível para um bom e envelhecido vinho. Sem contar no seu ritual supercharmoso.
Depois, cada bebida em sua taça certa. Os vinhos em taças médias (ou gigantes!), água e refrescos em taças maiores, espumantes em taças longas, e os licores de sobremesa naquelas pequenas tacinhas.

Muita coisa, não é mesmo? Separamos uma matéria ótima que vai te ajudar! Veja:

vinho_decantador-e1384370649852

Decanter

O decanter é uma espécie de garrafa de vidro sem emendas ou cristal, que é usada para decantar os vinhos ou arejá-los.

Para decantar
– Decantar é separar o sólido do líquido no vinho, por isso apenas os vinhos de guarda, mais antigos, precisam passar pelo processo. Isto porque estes vão acumulando sedimentos ao longo dos anos engarrafados;

– Para fazer a decantação, você deve despejar lentamente o vinho dentro do decanter;

– Não beba a parte com os sedimentos, deixe essa sobra no final da garrafa. Sem culpa!

Para aerar

– Os vinhos jovens, com aroma de madeira e frutas, ganham mais sabor quando aerados;

– Cada tipo tem seu tempo. Vá provando a cada cinco minutos até achar que ele está no auge do seu sabor;

– Mas nem todos os vinhos evoluem em contato com o ar. Melhor informar-se sobre o rótulo que você comprou antes de colocar para aerar.

decantadores_pontofriocom

Taças e Copos

Nem toda taça é igual. Tem taça para vinho branco, para vinho tinto, para água, copo para chopp, e etc.

Espumante e champanhe – o formato da taça (flûte) mantém as bolinhas do champagne por mais tempo. Esse modelo substituiu aquelas taças antigas (que a gente viu no filme O Grande Gatsby) que deixavam escapar as borbulhas. Entre 180 e 280ml.

Vinho – o ideal é a taça de corpo grande, que serve para realçar o sabor e o aroma do vinho. A do tinto é mais larga que a taça do vinho branco pois os tintos não precisam estar gelados.

Cerveja e chope – normalmente mais alongados, os copos de cerveja e chope são conhecidos como tulipa. O formato favorece a formação de espuma, o que ajuda a manter a bebida bem gelada. Entre 350 e 370ml.

Vodca e cachaça – esses pequenos copos servem exatamente uma dose. Fino e de base grossa, o copo tipo shot evita que o calor das mãos esquente a bebida. Serve bebidas sem gelo e geralmente puras. De 35 a 60ml.

copos_pontofriocom_2

tacas_pontofriocom

tacas_pontofriocom-2

copos_pontofriocom-3

Para saber mais detalhes, clique AQUI – Alquimia e Cozinha.

Fonte: Casamenteiras