Comer para emagrecer

Nesta época do ano, em especial, escuta-se muita gente contando suas loucuras para perder peso ou manter-se nele. Quem aqui não conhece uma amiga que só come gelatina ou passa o dia com apenas um miojo?! Sem entrar no mérito nutricional desses alimentos, ficar horas sem comer impede sim o organismo de perder peso e ainda cria gordurinhas que as pessoas não entendem como estão ali já que não comem “nada”.
Com o título “Comer para emagrecer”, fiz esse post com duas dicas: uma matéria da Nutricionista Fernanda Scheer e o livro da Nutricionista Bia Rique com o mesmo título, para quem quiser se aprofundar no assunto e mudar seus hábitos de vida para sempre.

Muito se fala sobre a importância de fracionar as refeições para facilitar a perda de peso, ou seja, comer de 3 em 3 horas. Mas poucos sabem as verdadeiras razões para isso. Uma frequencia de 4 em 4 horas pode ser muito benéfica para algumas pessoas pois permite que o alimento consumido anteriormente seja completamente digerido, mas, mais uma vez, vale aqui a individualidade bioquímica. Bom, mas vamos às razões pelas quais ficar muito tempo de estômago vazio  não  são boas e facilitam o ganho de peso:

1. CORTISOL – Passadas 3h e meia sem se alimentar o organismo começa a produzir quantidades significativas de um hormônio chamado cortisol, o famoso hormônio do stress. Faz sentido pois, sem alimento, o organismo entra em estado de stress, já que o cérebro precisa de glicose. Esse hormônio é um grande responsável pelo acúmulo de gordura no abdomen, ou seja, aquela bendita barriguinha que queremos eliminar a todo custo. Por isso é preciso comer para perder barriga!

2. METABOLISMO – O metabolismo desacelera. É, na verdade, um mecanismo de defesa do corpo: começa a poupar energia como segurança – vai que você está perdido numa floresta e não tem alimentos disponíveis? É assim que o corpo pensa. E, todos sabemos, que metabolismo lento é ganho de peso na certa!

3. FOME – Por mais que você não a sinta, a fome vem, e faz com que você coma em exagero na próxima refeição. É o corpo querendo recuperar rapidamente a glicemia, o que faz que você coma até três vezes mais. E com fome você não tem a mesma capacidade de selecionar a refeição, o resultado é que coloca para dentro tudo o que vê na frente.

4. MASSA MUSCULAR – Você já percebeu que num período de longo jejum você acaba nem sentindo mais fome? Isso acontece devido à utilização de massa muscular como fonte de energia, o que não é desejável a nenhum indivíduo. Primeiro porque a massa muscular é que mantém o seu corpo firme e saudável, e segundo porque quanto mais massa você tem mais acelerado é o seu metabolismo, o que significa perda de gordura!

5. ESTÔMAGO – Fracionar as refeições provoca uma redução da capacidade do estômago, diminuindo a fome, a ingestão calória e consequentemente a perda de peso. Isso tudo sem contar que jejuns prolongados favorecem a falta de concentração, alterações de humor, mal hálito, gastrite, queda de energia e até mesmo diabetes. Vale lembrar que os lanchinhos devem ser compostos por alimentos saudáveis e de preferencia naturais como frutas, sanduiches naturais, castanhas e alimentos integrais.

Deu para se convencer?

Fernanda Scheer
Nutricionista
CRN 24045


Livro: Comer para Emagrecer – Uma Filosofia Nutricional. Bia Rique

 

Saber que não existem fórmulas nem milagres para alcançar o emagrecimento saudável e que é possível sentir prazer saboreando cada alimento é um dos ensinamentos que a nutricionista Bia Rique propõe neste livro. 
Resultado de experiências clínicas adquiridas em mais de 10 anos ao lado do Dr. Ivo Pitanguy, a obra traz histórias de pacientes que tentaram diversas dietas sem sucesso até seguir o planejamento da autora, que criou o que chama de “filosofia nutricional”, pregando a compreensão dos sentimentos diante dos alimentos. 
Para a autora, temos que aprender nossos padrões de conduta diante das nossas compulsões e a controlar nossa vulnerabilidade. O livro traz ainda um sistema de substituições que pode ajudar o leitor a organizar melhor o cardápio, entendendo a equivalência entre um alimento e outro, privilegiando a substituição no lugar da exclusão.

Espero que estas dicas tenham ajudado vocês, pessoas que fazem de tudo para perder peso sem pensar na saúde. Ou, caso conheçam alguém que se encaixe neste perfil, fica a dica dar este livro de presente. 😉

Azul Tiffany

Decor lindíssima misturando prata e azul turquesa.

A questão do tempo

Nessa época do ano não é difícil arranjar motivos para reunir os amigos e fazer comemorações, não é mesmo? Além dos feriados e festas nacionais… Os eventos a céu aberto são as melhores pedidas já que os dias quentes têm dias contados.
Como nem tudo é perfeito, tem um ponto crucial: a chuva!
Inevitável no verão, ela desanima e pode estragar a festa, por isso, o meteorologista André Madeira, da Climatempo, afirma que o índice de acerto das previsões é de mais de 80% para um período de até sete dias, e de mais de 90% de um dia para o outro. Primeiro passo então, olho na site.
Outro ponto a decidir é: horário da festa. Evite o horário mais propenso à chuva, das 15hs às 18hs.
Então, em vez de fazer um happy hour, é mais aconselhável pensar em um brunch ou jantar.

A dica é singela, mas já pode dar uma ajudinha quem estava na dúvida, ?! Hehe…